Acampamento

Onde?

Os nossos alvos serão as infraestruturas de gás. Desde as zonas de furo, na zona centro ao gasoduto, ao terminal do porto de Sines, às centrais do ciclo combinado.

[MAPA]

Para saber mais sobre o local exato, inscreve-te a newsletter e vamos manter-te atualizad@.

Quando?

O acampamento irá ocorrer no verão de 2019. Estamos a pensar sobre um acampamento durante 4-5 dias, que junte todos aqueles que sentem a incrível urgência climática, numa ação de desobediência civil em massa!
Para saber mais sobre a data exata, inscreve-te a newsletter e iremos manter-te atualizad@.

OK, eu quero ir…mas o que vou fazer lá?

Fica tranquilo! Haverá tempo para relaxar, aprender, partilhar experiências, e claro também para participar e desobedecer! Neste evento, haverá oficinas, palestras em que haverá partilha de experiências, formações, tudo isto, enquanto bloqueamos uma infraestrutura de gás! Tendo em mente, que a ideia é organizarmos coletivamente um acampamento de ação contra gás fóssil e pela justiça climática, as oficinas e palestras serão sobre vários temas ligadas à justiça climática. Vamos também ter formações de ação não-violenta.

No fim do acampamento vamos pacificamente bloquear uma infraestrutura de gás com os nossos corpos. Sentes um bichinho a crescer dentro de ti? O processo de preparação será aberto a quem quiser juntar-se a esta luta!

By 2020 We Rise Up

Vários coletivos europeus juntaram-se a By 2020 We Rise Up, para construir uma estratégia de escalamento de acordo com a urgência climática e a mobilização social que isto implica.

Vamos de certeza parar os furos e o gasoduto, mas estamos conscientes de que é preciso muito mais. Por isso, as nossas reivindicações são:

  • Empoderarmos como sociedade civil para tomar ação coletivo de níveis sem precedentes, para responder ao desafio da linha vermelha do limitar o aquecimento global por 1.5ºC.
  • Tomar medidas imediatas e decisivas para parar a era dos combustíveis fósseis agora.
  • Uma transição emancipatória ultrapassando as injustiças sistémicas, em direção das sociedades baseadas em solidariedade.
  • Sociedades que respeitam os limites planetários, que se reconhecem como parte de natureza.