Tudo que precisas de saber sobre o Camp-in-Gás

O que é?

Este Verão estamos a organizar um acampamento contra o gás fóssil e pela justiça climática. É o primeiro acampamento de ação e o primeiro acampamento climático em massa em Portugal.

Porquê?

Para evitar mudanças climáticas irreversíveis, temos de parar de queimar combustíveis fosseis nas próximas décadas. No entanto, a Australis Oil & Gas quer fazer um novo furo de petróleo na zona centro, para uma nova infraestrutura de combustíveis fósseis. Há um projeto, planeado para 2019, para furar na Bajouca e em Aljubarrota. Isto representa um investimento no caos climático, e tem que ser parado.

Quando?

Julho, de 17 a 21, 2019.

Onde?

Bajouca, no distrito de Leiria. Vamos ter como anfitriões a maravilhosa Associação Bajouquense para o Desenvolvimento – ABAD no Pisão. Isto fica apenas a alguns quilómetros do local de perfuração.

Quem?

Organizações de base estão a preparar o campo com a população local. De momento, mais de 10 grupos estão envolvidos nas preparações. Pode ver-se a lista atualizada de organizadoras e apoiantes no nosso website.

Que tipo de atividades devo esperar?

Vamos ter um programa cheio de workshops, concertos, conversas e ações de preparação. Vamos partilhar experiências e capacidades uns/umas com os outr@s.

No final do acampamento, vamos organizar uma ação em massa contra o projeto de gás.

Devo aparecer?

Sim, especialmente se nunca tiveres estado envolvid@ em nada do género. Vamos ter todo o tipo de treino que seja preciso.

Posso aparecer do nada?

É uma pergunta complicada, a resposta é Sim e Não.

Em princípio, podes simplesmente aparecer e inscrever-te na tenda de boas-vindas.

Mas temos um espaço limitado para as tendas e a cozinha coletiva pode não te garantir comida.

As inscrições vão abrir a 20 de maio; assim, por favor regista-te assim que possível, para sabermos com o que podemos contar.

Como é organizado?

Nós organizamos o campo via assembleias abertas frequentes. Por favor subscreve a nossa newsletter para ficares informad@ de quando e onde a próxima vai acontecer.

Posso ajudar?

Sim, por favor. Vamos precisar de montes de ajuda para montar o campo, para gerir o espaço, para cuidar uns dos outros e do local, na tenda de boas-vindas, com logística, com tradução, na cozinha, e todo o lado onde possas contribuir.

Na ficha de inscrição por favor diz-nos a tua disponibilidade e interesses, e nós contactamos-te.

Se queres ajudar em fases anteriores da preparação, aparece nas assembleias abertas.

Como lá chegar

Há autocarros para Monte Redondo e Leiria, e uma conexão de comboio para o Pombal. De momento, nós estamos a tentar arranjar autocarros para fazer a ligação ao local do acampamento.

Alguns ativistas também estão a organizar uma viagem de bicicleta de Aveiro até ao acampamento.

O que trazer

Tu deves trazer a tua tenda, saco-cama e colchão.

Em julho, deverás precisar de um chapéu, protetor solar e garrafa de água. Traz ainda calças e roupa de manga comprida para a ação.

Algumas atividades podem precisar de materiais especiais, por favor lê o programa com atenção antes de saíres de casa.

Cuidado com os fogos florestais

Julho é um mês complicado e temos que estar atentos aos fogos florestais. Vai haver zonas de fumadores extremamente restritas e cada um de nós precisa de prestar atenção a coisas menos comuns.

O terreno lindo da ABAD é perto de um riacho que devemos preservar e não sujar.

E os custos?

Não há preço de entrada para o acampamento em si. Vamos tentar assegurar que tod@s (com ou sem capacidade monetária) possam participar no ativismo climático.

Estamos a usar redes solidárias para arranjar o máximo de materiais que podemos, de forma a evitar comprar coisas. Para custos inevitáveis, estamos a concorrer a financiamento. Vamos manter-te atualizad@.

No entanto, a comida custa dinheiro. Prevemos cerca de 10€ por dia por pessoa. Esperando abrir na quarta em que só vai haver jantar e fechar no domingo em que só vai haver pequeno-almoço e almoço: para esses dois dias, esperamos 5€ por pessoa. O registo vai estar aberto a 20 de maio. Se queres assegurar que tens comida no acampamento, por favor preenche com essa informação e transfere o valor para podermos comprar os alimentos. Quanto mais tarde comprarmos os alimentos, mais caro vai ser, por isso poderemos de ter de cobrar mais para registos mais tardios.

Isto é apenas para a cozinha coletiva. Se gostavas de contribuir mais para o autofinanciamento do campo, por favor vem à tenda de boas-vindas e deixa uma doação.

Que tipo de comida?

O coletivo de cozinha Caldeira Negra vai cozinhar comida vegan, local e orgânica para todos. E vão precisar de muitas mãos para cortar os vegetais, servir os pratos e lavar a loiça. Mantém-te atent@ aos quadros na tenda de boas-vindas, e ajuda quando puderes.